Além do Cidadão Kane

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

A "renúncia" de Fidel Castro


A direita iracunda ou não entendeu, ou não quis entender, ou faz questão de confundir o Povo ao divulgar em âmbito mundial a "renúncia de Fidel Castro". Renúncia é algo que dá uma ideia de desistência, de recuo, de abandono da causa, e é essa ideia que o imperialismo internacional quer passar àqueles que vivem da esperança de que um dia as coisas sejam melhores do que hoje são. Qualquer semi-alfabetizado que leia o texto original do Comandante, perceberá que o que foi dito é que "não aspirarei nem aceitarei -- repito -- não aspirarei nem aceitarei o cargo de Presidente do Conselho de Estado e Comandante-em-Chefe". O que foi omitido pela imprensa burguesa é que, tendo sido eleito novamente Deputado, Fidel poderia ser novamente eleito, no próximo domingo, pela Assembléia Nacional para continuar ocupando esses dois cargos. Então, o que a direita hidrófoba, distorce é que Fidel Castro continua, até domingo próximo, como Presidente do Conselho de Estado e Comandante-em-Chefe licenciado. Não houve, portanto, renúncia a esses cargos, mas simplesmente o não colocar a disposição seu nome para uma nova reeleição. É claro que a burguesia internacional, que supõem ser Democracia o que se vê nos Estados Unidos da América, imagina que a legalidade institucional de Cuba foi rompida - e supõe com tal convicção que os fascistas de Miami foram para as ruas comemorar - e que agora será possível dobrar a vontade do Povo cubano. Vamos deixar que se iludam. O que eles não sabem é que em Cuba o fascismo não passará.


Vasco Malleiro - Médico
topo

Um comentário:

TDV Produções disse...

O pior dessa questão é que boa parte da esquerda, má informada, faz coro a direita dizendo que Fidel "renunciou". A informação é uma arma poderosa, devemos tomar muito cuidado.

Copyleft - Nenhum Direito Reservado - O conhecimento humano pertence à Humanidade.